ironicamente, eu precisava disso

ironicamente, eu precisava disso

Faz um tempo que tenho me pegado sempre pensando constantemente nas possibilidades que poderia ter sido alguma experiência que tive no meu ensino médio. Para aqueles que não sabem exatamente do que falo, meu ensino médio foi uma época bem complicada para mim. Comecei a entrar em dificuldade com a área de exatas, me sentia uma pessoa que não sabia de nada, que não tinha dom pra nada (por mais que eu tirava 9.5 em português sem estudar nadinha). Acreditava que não iria para frente, que as universidades federais não era meu lugar. Dito e feito, eu não passei numa federal. Fui reprovada logo de cara. Isso tudo porque eu não acreditei no meu potencial, não acreditei em mim mesma. Tive experiências tão pesadas no ensino médio que apesar de tudo, de todas as coisas boas que me rodeavam na época, eu só focava nos meus defeitos. E não os aceitava! E por este fator, eu ficava me cobrando até por situações que eu tinha controle algum! Olha só quanto detalhe eu lembro disso e eu me formei do EM fazem quatro anos já.

Como eu ia dizendo, não foi fácil e por isso, passei em meus momentos de ócio, meio que sem querer (e mesmo que fosse contra a vontade e eu percebesse, era tentador), ficava pensando no E SE de todas as situações doidas que tive que lidar. Claro, eu com essa cabeça, teria me livrado de cada enrascada…

Só que cansei. Cansei de supor, nada muda. Todo mundo fala isso pra mim que pensar não iria mudar nada e até a pouco tempo era esse o tentador, não mudar e ainda sim continuar pensando porque não haveriam consequências para eu lidar. Mas cansa. Cansa muito. Cheguei naquele pontinho da linha temporal que só quer olhar pra frente. Olha para a janela e respira o ar. Olha para o espelho, e contenta cada pinta que tenho na pele. Aquela ali, em dois mil e quatorze, não é mais eu. Eu mudei e eu sinto isso. Minha cor favorita mudou, meu cabelo mudou, minhas músicas favoritas mudaram, meus filmes favoritos também mudaram, meu jeito de lidar e amar as pessoas mudou, a forma de sorrir, meu círculo de amigos e inclusive até a minha casa mudou!

Porque viver com os meus pés virado pra trás? Virado para época que já se foi e minhas cicatrizes que já fecharam. Não tem porquê. Eu mudei tanto que nem percebi que essa mudança estava acontecendo, foi preciso de um baque muito grande para que eu percebesse, claro. E que baque! Eu precisava disso.